Exército iraquiano matou 19 rebeldes nas últimas duas semanas

Dezenove rebeldes iraquianos morreram em operações de segurança lançadas pelo exército do Iraque em diferentes áreas do país nas duas últimas semanas, informou nesta segunda-feira o Ministério da Defesa do país.O porta-voz oficial do Ministério, Mohammed al-Askari, informou que 625 pessoas foram detidas nas operações sob suspeita de pertencer a grupos da resistência.Askari divulgou esses dados após presidir várias reuniões com clérigos e chefes de tribos da província de Ninawa e das localidades de Al Mahmudiya e Al Latifiya, ao norte e a sudoeste de Bagdá, respectivamente.O porta-voz afirmou que o objetivo dessas reuniões é "obter respaldo para o plano de reconciliação nacional e aproximar os pontos de vista em algumas áreas onde a situação é tensa".Essa iniciativa, que começou a ser aplicada no início da semana passada, tem o objetivo de abrir um diálogo com os grupos insurgentes para que deponham as armas e façam parte do processo político. O plano de reconciliação nacional é promovido pelo primeiro-ministro iraquiano, Nouri al-Maliki. Por outro lado, um tribunal de Bagdá condenou nesta segunda 25 iraquianos a penas de prisão de entre um ano e prisão perpétua por pertencer a grupos armados e por posse ilegal de armas, entre outras acusações, informaram fontes judiciais locais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.