Exército irlandês desarma bomba pouco antes de visita da rainha Elizabeth II

Explosivo improvisado foi descoberto em região que seria visitada pela monarca britânica

BBC Brasil, BBC

17 de maio de 2011 | 06h18

Policiais revistam cidadão em Dublin; cidade recebe nesta terça a rainha Elizabeth II

 

DUBLIN - Autoridades da República da Irlanda desarmaram nesta terça-feira, 17, uma bomba horas antes da visita histórica da rainha Elizabeth II ao país.

 

Segundo o Exército irlandês, um dispositivo explosivo improvisado, mas viável, foi encontrado na noite de segunda-feira em um ônibus do lado de fora do Glen Royal Hotel, em Maynooth, no condado de Kildare, uma região pela qual a monarca britânica passaria durante a visita de quatro dias. Todos os cerca de 30 passageiros do ônibus privado foram levados para Dublin em outro veículo.

Nesta terça-feira, em um incidente separado, houve um alerta de segurança em Dublin. Um pacote suspeito encontrado perto de uma linha de trem está sendo examinado.

Segurança

As autoridades irlandesas montaram a maior operação de segurança da história do país para receber a rainha, nesta terça-feira, na primeira visita de um chefe de Estado britânico desde que o país obteve sua independência da Grã-Bretanha, há 90 anos.

Correspondentes da BBC em Dublin relatam que a viagem lançará luz sobre a história compartilhada - que inclui guerras de independência e disputas políticas - pelos dois países. Mas a viagem terá, principalmente, um tom reconciliatório. No momento mais simbólico da visita, a rainha deverá homenagear os que morreram lutando contra a coroa inglesa pela independência irlandesa.

O governo irlandês elogiou a visita e também destacou seu valor simbólico. Antes de Elizabeth II, a última viagem de um monarca britânico à Irlanda fora feita há um século, por George V, antes da partilha da ilha e da independência do sul, onde hoje fica a república irlandesa. A Irlanda do Norte permanece sendo parte da Grã-Bretanha.

A viagem da rainha ocorre em um momento de novas ameaças por parte de republicanos irlandeses que se opõem ao acordo de paz na Irlanda do Norte. Nesta segunda-feira, Londres foi alvo de uma ameaça de bomba.

Segurança

No último fim de semana, alguns manifestantes foram às ruas de Dublin criticar a vinda da monarca do "vizinho do inferno", em referência à Inglaterra. Mas o embaixador britânico em Dublin, Julian King, que foi um dos organizadores da viagem de Elizabeth II, diz que, em geral, o povo irlandês tem sido "cálido".

Ele disse ter recebido centenas de cartas com elogios à chegada da monarca. Nesta terça-feira, cerca de 6 mil policiais farão a segurança nas ruas da capital irlandesa, e militares monitorarão o espaço aéreo. Cerca de 30 ruas da cidade ficarão fechadas ou terão acesso restrito.

 

BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.