Exército israelense abandona a Uzi

Os militares israelenses estão abandonando a lendária submetralhadora Uzi, considerada antiquada, e substituindo-a por armas mais sofisticadas e informatizadas, disse um porta-voz do Exército. Mas a Uzi, um ícone nacional e a maior contribuição de Israel à indústria armamentista, continuará a ser produzida e exportada, para, presume-se, a felicidade de traficantes de drogas, agentes secretos e heróis de filmes de ação.Os militares israelenses tiraram a arma, de construção simples e criada há 50 anos, da linha de frente há 20 anos, mas continuaram a fornecê-la a unidades de elite e soldados sobrecarregados de equipamento que necessitassem de uma arma defensiva leve. Agora, a Uzi será abandonada de vez. ?Não treinamos mais soldados para usar a Uzi?, disse o porta-voz capitão Jacob Dallal. ?Basicamente, ela é obsoleta?.A estatal Indústrias Militares de Israel produziu mais de 1,5 milhão de unidades e continuará a fabricar a arma, que já gerou centenas de milhões de dólares em vendas ao exterior, incluindo EUA, América Latina e África.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.