Exército israelense mata 10 palestinos

Pelo menos 10 palestinos foram assassinados hoje em duas operações do Exército de Israel realizada nas últimas horas. Entre os mortos há uma menina de quatro anos.Também nesta segunda-feira, o Parlamento palestino rejeitou uma tentativa do líder Yasser Arafat de tentar diluir a autoridade do futuro primeiro-ministro.Uma exigência de Arafat para manter sua palavra na indicação dos ministros de gabinete estava no centro da disputa entre o líder palestino e o Parlamento.Arafat reuniu deputados rebeldes da Fatah, movimento político ao qual pertence, após o Parlamento ter votado contra sua proposta. Ele tem a esperança de fazê-los mudar de opinião até a votação final, prevista para amanhã.A Fatah possui maioria no Parlamento de 88 cadeiras.Enquanto isso, na Faixa de Gaza, 10 palestinos foram assassinados em choques entre tropas israelenses e militantes armados no campo de refugiados de Nusseirat e numa ofensiva militar contra a cidade de Beit Lahiya.As forças israelenses entraram em Nusseirat por volta das 4h00 locais, quando moradores seguiam para as mesquitas do campo de refugiados para as orações matinais e os fazendeiros começavam a levar seus produtos para os mercados.Soldados disfarçados entraram no prédio de quatro andares pertencente a Mohammed Saafen, de 34 anos, um suposto líder da Jihad Islâmica na região central de Gaza. Os familiares de Saafen saíram da casa, mas o fugitivo trancou-se dentro da casa e abriu fogo contra os soldados, que atiraram de volta.O pai de Saafen, de 75 anos, foi ferido na perna. Vizinhos comentaram que os soldados atiraram deliberadamente no idoso para tentar forçar a rendição do suspeito. O Exército não comentou o assunto.O foragido foi morto no tiroteio e os soldados demoliram suacasa.Tiroteios começaram em outras partes do campo de refugiados. Soldados disparavam metralhadoras em helicópteros e tanques contra pistoleiros escondidos em vielas e barracos.Numa casa compartilhada por 35 membros da família Assar, mulheres e crianças abraçaram-se quando o tiroteio começou. Ihlam Assar, de quatro anos, foi morta por um tiro disparado de um tanque, denunciou Irmead, sua tia."Todas as crianças se aglomeraram perto da cozinha quando os tanques começaram a atirar para todos os lados", disse a tia. "A menina (Ihlam) estava perto da minha filha quando foi baleada no peito, deixando uma poça de sangue perto das crianças assustadas."Um comandante do Exército de Israel insiste em que nenhum civil foi morto na ofensiva. "Eles (palestinos) atiram para todos os lados com o objetivo de nos atingir, mas se acertarem seu próprio povo, que seja", disse o comandante, que se identificou apenas como coronel Adam.Ao todo, sete palestinos morreram em Nusseirat - quatro pistoleiros, dois adolescentes de 13 e 17 anos e a menina de quatro anos. Fontes hospitalares disseram ter socorrido 25 feridos.Em Beit Lahiya, soldados mataram três palestinos numa ofensiva militar em retaliação a um ataque com foguete Qassam que acertou um ônibus vazio na cidade de Sderot. Entre os palestinos mortos, estavam dois policiais de trânsito que organizavam uma blitz, disseram médicos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.