Exército israelense mata 4 palestinos em ação de "assassinato seletivo"

Forças israelenses mataram quatropalestinos em ataques perpetrados contra a Faixa de Gaza nestedomingo, inclusive dois adolescentes numa tentativa de"assassinato seletivo" contra supostos fugitivos do Hamas.No norte de Israel, dois palestinos mataram umisraelense numa aldeia próxima à Cisjordânia antes de seremperseguidos. À medida que se aproximam as eleições israelenses de 28 dejaneiro, acirram-se tanto os discursos quanto a violência. Ospalestinos acusam Israel de ampliar suas ações militares paratentar distrair a atenção dos eleitores dos escândalosenvolvendo o primeiro-ministro Ariel Sharon. Por sua vez, Sharonqualificou o presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP),Yasser Arafat, como um "obstáculo para a paz" que "devedeixar o cenário político". Em um raro incidente ocorrido na fronteira entre Israel eEgito, soldados israelenses mataram dois homens que tentavaminfiltrar-se no país pelo deserto ao sul da Faixa de Gaza.Segundo o Exército, um israelense também morreu na operação. Horas antes, helicópteros artilhados israelenses atravessaramos céus de Gaza e dispararam mísseis contra dois veículos entreKhan Younis e Rafah, no sul da Faixa de Gaza, disseramtestemunhas. Os militares israelenses aparentemente tentavam atingirsupostos militantes do Hamas. No entanto, os mísseis causaram amorte de dois adolescentes que caminhavam pelas proximidades dolocal onde ocorreu o ataque. Fontes hospitalares identificaram os mortos como AbdallahNajar e Mohammed Karaweh. Outro adolescente sofreu ferimentosgraves, disseram as mesmas fontes. Há relatos conflitantes sobre a idade deles. Funcionários dohospital dizem que os dois jovens mortos tinham 15 e 16 anos,respectivamente. No entanto, um tio disse que Najar tinha 18 e aagência das Nações Unidas de ajuda aos refugiados palestinos dizque ele tinha 19 anos.Mahmoud Abu Tahar, dono de um posto de gasolina, contou que osmísseis foram disparados contra um táxi e um carro comum quandoos três jovens passavam pelo local, dois em bicicletas e um apé. O Exército de Israel preferiu não comentar a tentativa deassassinato seletivo e a morte dos adolescentes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.