Exército israelense mata dois palestinos na Cisjordânia

Dois palestinos morreram e outro ficou ferido nesta terça-feira durante confrontos com soldados israelenses no campo de refugiados de Nur e-Chams, próximo a cidade de Tulkarem, norte da Cisjordânia. O Exército israelense informou que o objetivo da ação é desmantelar a ?ampla infra-estrutura terrorista? e prender ativistas procurados da resistência contra a ocupação de Israel na Cisjordânia. Na ofensiva, 15 palestinos suspeitos de participar do ataque a mesquita de Alqsa, que completará dois anos no próximo mês, foram presos. A entrada no campo de Nur e-Chams aconteceu horas depois dos soldados israelenses saírem da cidade de Belém, cumprindo assim o acordo firmado no último domingo para uma saída gradual dos forças de Israel das cidades palestinas invadidas há mais de dois meses. As tropas israelenses estão agora ao redor de Belém para ?impedir a infiltração de terroristas?, disse um chefe do Exército de Israel da região, a 8 km de Jerusalém. Dentro de Belém, a polícia da Autoridade Nacional Palestina (ANP) assumiu o controle da cidade e levantou várias barreiras de controle para inspecionar carros e pedestres nas rotas aos assentamentos judeus. A intenção é impedir possíveis ataques. O Movimento da Resistência Islâmnica (Hamas), a Jihad Islâmica e também as Brigadas dos Mártires de Al Aqsa foram contra o acordo da ANP com Israel sobre a retirada gradual das tropas. Eles alegam que ?perpetuará a ocupação? na Cisjordânia e Gaza, e ameaçam continuar com os ataques. Ativistas palestinos disseram que o acordo firmado entre o ministro palestino do Interior, Abdel Rezak al-Iejie, e o da Defesa israelense, Benjamín Ben Eliezer, ?é uma rendição vergonhosa? para desmantelar a resistência contra a ocupação. ?As força palestinas serão testadas quando informarmos que um suicida está a caminho de Israel. Aí veremos o que farão para impedi-lo?, comentaram oficiais das Forças Armadas Israelenses. Ao sul de Gaza, nesta terça-feira, tiroteios nos assentamentos judeus de Neve Dekalim deixou um soldado israelense ferido. Um outro israelense ferido ontem nesta mesma região morreu hoje, informou um hospital local.

Agencia Estado,

20 Agosto 2002 | 04h07

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.