Exército isralense avança no Líbano e batalha se intensifica

Combates violentos aumentam no Líbano enquanto as tropas de Israel se infiltram cada vez mais em seu território. Mesmo com o pedido de cessar-fogo "urgente" durante a visita surpresa da secretária de Estado dos Estados Unidos, Condoleezza Rice, à Beirute, capital libanesa, a batalha no sul do país continua.Durante uma batalha entre os militantes e as tropas israelenses mais dois soldados foram mortos e pelo menos outros 20 ficaram feridos, informou o comando militar israelense.O exército afirma que capturou dois milicianos do Hezbollah nesta segunda, e agências de notícias israelenses afirmam que ataques aéreos causaram a morte de mais alguns militantes do grupo xiita.O porta-voz das tropas hebraicas, o general Alon Friedman, afirmou à rádio militar que os ataques irão continuar por mais, pelo menos, dez dias.O grupo extremista Hezbollah ainda disparou mais dois mísseis contra Israel, nesta segunda, atingindo a cidade de Kiryat Shmona, ao norte, informaram autoridades. Não foram reportados nenhuma vítima ou dano estrutural.Queda de helicópteroDois pilotos israelenses morreram nesta segunda na queda de um helicóptero perto da fronteira com o Líbano, informaram fontes militares de Israel.O acidente ocorreu ao norte da cidade de Safed, embora as fontes não tenham precisado se foi em território israelense ou libanês.Um porta-voz militar confirmou que o helicóptero não foi derrubado por um foguete da guerrilha libanesa Hezbollah e desmentiu as informações neste sentido procedentes do Líbano.O helicóptero, do tipo Apache, sofreu um problema técnico e teve que fazer uma aterrissagem de emergência, asseguraram as fontes. Na operação, a hélice bateu, aparentemente, em cabos elétricos.Na quinta-feira passada dois helicópteros israelenses sofreram um acidente quando suas hélices encostaram umas nas outras em pleno vôo ao sul da cidade de Kiryat Shmona. Um piloto morreu no acidente.Contra-ataquesO Hezbollah garantiu nesta segunda que seus combatentes destruíram cinco tanques israelenses e "mataram ou feriram seus ocupantes" na fronteira com o Estado judeu, o que foi desmentido por fontes militares de Israel.A rede de TV Al-Manar, órgão da milícia, disse, citando como fonte um comunicado da Resistência Islâmica, braço armado do Hezbollah (Partido de Deus), que quatro dos cinco tanques foram destruídos em confrontos perto da aldeia de Maroun al-Ras.Um quinto tanque israelense teria sido destruído entre essa localidade do sul libanês e o assentamento de Avivim, afirmou o comunicado divulgado pela Al-Manar.No entanto, um porta-voz do exército israelense desmentiu que o Hezbollah tenha destruído cinco tanques. Em declarações, o militar afirmou que essa informação não tinha fundamento e que as tropas israelenses continuam realizando suas operações de acordo com o previsto.O Hezbollah reconheceu neste domingo que a aldeia de Maroun al-Ras fora tomada pelas tropas israelenses.Segundo o comunicado do grupo, os milicianos xiitas estão travando violentos combates com soldados israelenses desde as 8h (2h de Brasília) ao norte de Maroun al-Ras.De acordo com fontes libanesas e rádios locais, os combates intensificaram-se entre as localidades de Maroun al-Ras e Bint Jbeil.Israel deu inicio à operação no Líbano após o Hezbollah matarem três soldados e capturarem outros dois na fronteira entre os dois países, no dia 12 de julho. Pelo menos 381 pessoas perderam suas vidas do lado libanês, incluindo 20 soldados e 11 militantes do Hezbollah, de acordo com autoridades libanesas.Já o total de mortos do lado israelense fica em 39, com 17 civis mortos por mísseis lançados pelo grupo extremista e 22 soldados mortos durante os combates.Matéria atualizada às 17h49

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.