Exército libanês diz ter ocupado posições do Fatah al-Islam

Militantes foram obrigados a migrar para o sul do campo após bombardeios militares

Agencia Estado

21 Junho 2007 | 13h08

O Exército libanês afirmou nesta quarta-feira, 20, que ocupou todas as posições dos militantes do grupo radical Fatah al-Islam na parte norte do campo de refugiados de Nahr al-Bared, um mês após o início dos combates. Tropas do governo vinham bombardeando esse setor sem cessar nos últimos dias, destruindo com sua artilharia pesada as posições dos militantes, fazendo-os retroceder para o sul do campo. "Avançamos metro por metro e vasculhamos bairro por bairro como medida de segurança, pois temíamos que estivessem minados", disse uma fonte do Exército. Esta parte do campo se encontra em ruínas. O Exército perdeu vários soldados na explosão de bombas e durante seu avanço encontrou corpos de militantes nas posições abandonadas que estavam prontos para serem enterrados. Pelo menos 140 pessoas, entre elas 74 militares e cerca de 50 militantes, morreram desde 20 de maio, quando começaram os piores confrontos internos no Líbano desde a guerra civil (1975-90). Mediadores palestinos apresentaram nesta quarta ao Exército libanês um plano para pôr fim aos combates com os militantes em Nahr al-Bared, norte do Líbano. O plano foi apresentado após os mediadores - um grupo de líderes religiosos muçulmanos - reunir-se com membros do Fatah al-Islam no campo. "Esperamos que a resposta seja positiva", disse o xeque Mohamed al-Haj, um dos mediadores. Ele não quis dizer qual era a proposta, mas uma fonte política palestina disse que o plano inclui a dissolução do Fatah al-Islam e o envio de uma força de segurança formada pelas principais facções palestinas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.