Exército libanês retoma cidade invadida por rebeldes sunitas sírios

Ao menos 13 soldados e 50 militantes morreram nos combates em povoado no Líbano; frente Al-Nusra atacou local no fim de semana

O Estado de S. Paulo

04 de agosto de 2014 | 09h29

BEIRUTE - O Exército libanês atacou nesta segunda-feira, 4, uma cidade fronteiriça com a Síria atacada por rebeldes islâmicos no fim de semana. O bombardeio teve como objetivo expulsar os rebeldes da frente Al-Nusra, que luta contra o regime de Bashar Assad, da região. Ao menos 13 soldados e 50 militantes morreram nos combates. 

Os corpos dos militantes foram encontrados por batedores do Exército libanês. Ao menos 20 militares e policiais do país estão desaparecidos depois dos confrontos do fim de semana. 

Segundo fontes militares, o ataque a Arsal vinha sendo planejado há meses. Lideranças locais acreditam que a ofensiva da frente Al-Nusra é uma tentativa de tornar o grupo mais presente no Líbano. Em comunicado, o Exército disse ter retomado o controle de uma escola dominada na invasão.

Arsal é uma cidade de maioria sunita na fronteira com a Síria, mas fica em uma área predominantemente xiita do Líbano. / REUTERS

Tudo o que sabemos sobre:
LíbanoSíria

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.