Exército libanês se posiciona na fronteira com Israel após 4 décadas

O Exército libanês se posicionou neste sábado na"linha azul" - a fronteira com o Estado judeu - pela primeira vezapós quase quatro décadas, em cumprimento da resolução 1701 doConselho de Segurança da ONU, que pôs fim a mais de 30 dias dehostilidades entre Israel e o Hezbollah. Segundo fontes militares, cerca de 400 soldados libanesesacompanhados por capacetes azuis se posicionaram em cinco posiçõesda "linha azul", demarcada pela ONU para certificar a retiradaisraelense do sul libanês. Os soldados libaneses assumiram a posição fronteiriça de RasNakura, ao sul de Tiro, e de Labuni, ao leste, controladas peloscapacetes azuis ganeses e localizadas a poucas centenas de metros deuma posição israelense, situada do outro lado da fronteira. Na sexta-feira, o comandante da Força Interina das Nações Unidas no Líbano(Finul), general Alain Pellegrini, anunciou que Israel havia seretirado de duas posições e que o Exército libanês se posicionariaNeste sábado na fronteira. Os soldados libaneses também tomaram posições em outros trêspontos do setor central da "linha azul", acrescentaram as fontes. Por sua parte, a agência nacional de notícias disse neste sábado que umnavio da Marinha libanesa chegou hoje ao porto de Nakura, pelaprimeira vez em 35 anos. Nos anos 60, o Exército libanês perdeu o controle do sul do país,que começou a ser utilizado por grupos palestinos para lançarataques contra Israel. Desde a retirada israelense em 2000, após 22 anos de ocupação, osul foi controlado pelos combatente do Hezbollah, cujo chefe, xequeHassan Nasrallah, afirmou na sexta-feira que não se desarmarão até que hajaum Estado forte capaz de confrontar Israel.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.