Exército mata 175 rebeldes na Síria, diz agência

Tropas do exército sírio mataram 175 rebeldes em uma emboscada nesta quarta-feira no sul da capital, Damasco, informou a agência de notícias estatal síria Sana. O ataque tinha como alvo principal combatentes ligados a Al-Qaeda e integrou os esforços do governo para garantir o controle da capital.

AE, Agência Estado

26 de fevereiro de 2014 | 13h22

Ao amanhecer, forças do presidente Bashar Assad atacaram a área comandada pela oposição do leste da Ghouta. Os ataques provavelmente empurrarão os grupos rebeldes para mais longe de Damasco. Os subúrbios da capital ter sido redutos da oposição desde março de 2011, quando a revolta contra o governo começou.

Se confirmado, este seria um dos mais mortais ataques das forças do governo

contra os rebeldes na área. A Sana citou um comandante de campo da área no leste de Ghouta dizendo que a maioria dos rebeldes mortos no ataque perto do lago Oteibah, no sudeste de Damasco, pertenciam ao grupo rebelde ligado a Al-Qaeda Frente Nusra. A reportagem informou ainda que vários mortos eram combatentes estrangeiros que vieram para a Síria da Arábia Saudita, Chechênia e do Qatar para lutar.

A Sana postou várias fotos em seu site mostrando dezenas de corpos de homens caídos em uma pista de terra em um campo aberto, alguns vestindo uniformes, mas a maioria vestindo roupas civis. Sacolas de roupas e garrafas de água estavam espalhadas no chão, sugerindo que foram emboscados quando se movimentavam de um local para outro.

O Observatório Sírio para os Direitos Humanos, grupo de oposição sediado na Grã-Bretanha, também informou as mortes, dizendo que 70 rebeldes foram mortos no ataque de quarta-feira. O observatório afirmou, entretanto, que o número de mortos provavelmente vai aumentar porque 89 rebeldes foram considerados desaparecidos.

Em uma transmissão ao vivo da área, a rede de televisão libanesa Al-Mayadeen também mostrou dezenas de corpos espalhados ao longo de uma estrada de terra. Um coronel do exército disse a Al-Mayadeen que suas tropas agiram com base em informações de inteligência e que os rebeldes perderam "mais de 150 homens" no ataque. Tanques e veículos blindados do exército sírio e soldados fazendo patrulha a pé foram vistos na transmissão. Fonte: Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.