Exército mata chefe das Farc envolvido em atentado a Uribe

O Exército colombiano matou em combate Manuel Felipe Delgado Jiménez, suposto chefe guerrilheiro das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), acusado de planejar o atentado a Álvaro Uribe, atual presidente, há cinco anos, em Barranquilla.Delgado foi morto nas "últimas horas" por tropas de uma brigada blindada em Dibulla, localidade no departamento da Camponesa, informou na quinta-feira, 5, a Primeira Divisão do Exército Nacional.Em comunicado divulgado em sua sede da cidade caribenha de Santa Marta, a unidade militar disse que "Alfonso Arango" ou "Tacanas", como Delgado Jiménez era conhecido, era o segundo no comando da frente 19 das Farc.Ele participou do planejamento do atentado contra Uribe cometido em 14 de abril de 2002 nas ruas do mercado público de Barranquilla. Na ação foi usado um cilindro de gás doméstico com explosivos.A bomba foi colocada e ativada por "milicianos" ou rebeldes urbanos do Bloco Caribe das Farc na passagem da caravana de Uribe. Na época ele promovia sua candidatura presidencial no primeiro turno das eleições de maio desse ano, nas quais foi eleito.O atentado causou a morte de três civis e feriu outras dez pessoas, entre elas quatro policiais.Delgado Jiménez tinha 20 anos de trajetória nas Farc, segundo os arquivos das Forças Militares, que documentam sua participação em ações rebeldes desde 1987.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.