Exército paquistanês ataca aldeia e mata 30 pessoas

Forças de segurança paquistanesas bombardearam um suposto refúgio de membros da rede extremista Al-Qaeda perto da fronteira com o Afeganistão, informou neste sábado o exército do Paquistão. Cerca de 30 pessoas morreram, disse o general Shaukat Sultan, porta-voz do exército. Moradores da aldeia paquistanesa atacada denunciaram que a maior parte dos mortos era composta por mulheres e crianças. O ataque ocorreu na noite de sexta-feira, depois de a polícia ter recebido informações segundo as quais no local havia um esconderijo dos rebeldes e um depósito de munições no local. "O ataque foi promovido com base em informações autênticas e corretas. Cerca de 30 cafajestes, inclusive estrangeiros, morreram na ação", disse Sultan à Associated Press por telefone. Entretanto, dois moradores contaram a repórteres da AP que viram corpos de diversas mulheres e crianças. Eles preferiram não se identificar com medo de possíveis represálias.

Agencia Estado,

11 Março 2006 | 16h25

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.