Exército paquistanês avança e mata 11 militantes

Tropas do Exército paquistanês conquistaram posições hoje no vale invadido pelo Taleban, matando 11 militantes. Em outros locais no noroeste do país, a polícia informou que dezenas de homens atacaram um depósito de suprimentos para as tropas da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) no Afeganistão e atearam fogo a oito caminhões antes de escaparem.

AE-AP, Agencia Estado

13 de maio de 2009 | 13h57

A crescente violência, que inclui uma série de ataques aos suprimentos da Otan e dos Estados Unidos, fez aumentar os temores de que mais partes da fronteira estejam passando do controle do governo para as mãos dos Taleban e da Al-Qaeda. O presidente afegão, Hamid Karzai, advertiu hoje que a ameaça que os militantes representam para os dois países é muito real. "Terroristas e extremistas estão estendendo seu alcance em todas as áreas de nossos países", disse Karzai durante uma conferência econômica regional na capital paquistanesa, Islamabad.

Sob forte pressão norte-americana, as autoridades paquistanesas abandonaram as conversações de paz com os militantes do Taleban no mês passado e lançaram uma operação militar para expulsá-los do Vale do Swat. O Exército afirma ter matado mais de 750 militantes desde o início da operação. Mas os confrontos também retiraram cerca de 800 mil pessoas de suas casas, criando uma situação de urgência humanitária que pode enfraquecer o apoio ao governo.

Tudo o que sabemos sobre:
Paquistãoviolênciamortes

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.