Exército paquistanês lança ofensiva perto da fronteira afegã

Moradores da região paquistanesa do Waziristão do Norte, habitada pela etnia pashtun, acusaram nesta segunda-feira as forças governamentais de matarem dezenas de civis durante uma operação contra insurgentes do Taliban.

MARIA GOLOVNINA, Reuters

23 de dezembro de 2013 | 10h28

A operação começou logo depois de um atentado suicida contra um posto de controle policial no Waziristão, na quarta-feira passada. Essa região montanhosa, na fronteira com o Afeganistão, é um reduto de militantes do Taliban ligados à Al Qaeda.

Há meses vinha crescendo a especulação de que o governo realizaria uma ofensiva militar nas áreas tribais, onde existe pouca presença da poder público e grande infiltração de combatentes islâmicos estrangeiros.

Militares disseram que mais de 30 militantes, a maioria de etnia uzbeque, morreram na operação.

Em nota, os militares não fizeram referência às denúncias de que civis teriam sido mortos.

As autoridades paquistanesas impuseram um toque de recolher, e muitos moradores fugiram das suas casas após dias de bombardeios na região de Mir Ali, no Waziristão do Norte, depois do atentado suicida.

(Reportagem adicional de Jibran Ahmad, em Peshawar)

Tudo o que sabemos sobre:
PAQUISTAOOFENSIVAAFEGANISTAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.