Exército paquistanês teria atacado campo da Al-Qaeda em região tribal

Mais de 20 pessoas foram mortas nesta quarta-feira ou ficaram feridas em um ataque do Exército paquistanês a um suposto campo da rede terrorista Al-Qaeda, na região de povos tribais do Waziristão do Norte, próxima à fronteira com o Afeganistão, na Ásia Central, segundo fontes oficiais. De acordo com essas fontes, forças de segurança atacaram um campo da Al-Qaeda em Saidgai, 17 quilômetros de Miranshah, a capital do Waziristão, de onde se suspeita que os rebeldes atacam as tropas americanas destacadas no Afeganistão. A fonte assegurou que o alvo do ataque, no qual foram utilizados helicópteros, foi um campo de treinamento de terroristas. Fontes militares paquistanesas asseguraram, por sua vez, que os terroristas entraram em território paquistanês desde o Afeganistão após um confronto com as tropas americanas nesse país. Esta operação militar acontece no dia em que o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, inicia sua primeira viagem à Índia e Paquistão. Desde os ataques terroristas de 11 de setembro de 2001 nos EUA, o Paquistão é um dos principais aliados de Washington na luta contra o terrorismo. O Waziristão é uma região montanhosa e desértica, fronteiriça com o Afeganistão, povoada por várias tribos pashtun, povos da mesma etnia dos antigos talebans. Suspeita-se que muitos talebans se refugiaram nesse país.

Agencia Estado,

01 Março 2006 | 03h24

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.