Exército processa militares por mortes de 2 pessoas no México

Pai e filho foram assassinados após passar direto por um posto de vigilência

Efe

12 de setembro de 2010 | 21h27

MÉXICO - O Exército mexicano anunciou neste domingo, 12, a abertura de uma "ação penal" contra um capitão, um cabo e dois soldados por sua provável responsabilidade no homicídio de dois civis, um pai e um jovem de 15 anos, assassinados após passar direto por um posto de vigilância em seu automóvel no dia 5 de setembro.

 

Em comunicado a Secretaria da Defesa Nacional detalha que os militares foram colocados em uma prisão militar e à disposição do Juizado Militar.

 

Os acusados na morte das duas vítimas, Vicente León Ramírez, de 52 anos, e seu filho Alejandro Gabriel León Castellanos, de 15, são o capitão de Infantaria Cruz Núñez Valdez, o cabo Valerio Lucas Hernández e os soldados José Antonio Rosado Vázquez e Antonio Ramírez Pérez.

 

Os quatro militares são relacionados com as duas mortes e ferimentos que receberam outros membros de duas famílias envolvidas nos fatos, ocorridos na estrada Monterrey-Nuevo Laredo.

Tudo o que sabemos sobre:
Méxicomilitarescivisassassinato

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.