Exército responsabiliza guerrilha por atentado com 26 mortos

Os tigres tâmeis lutam há mais de duas décadas para conseguir um Estado independente

EFE

26 de abril de 2008 | 03h34

O Exército do Sri Lanka atribuiu neste sábado à guerrilha tâmil a autoria do atentado contra um ônibus de passageiros que matou 26 pessoas na sexta-feira. Em comunicado, o Exército aumentou o número de mortos no ataque, que também deixou 64 feridos, todos civis. O Ministério da Defesa, em comunicado, informou que o atentado aconteceu na localidade de Piliyandala, ao sul de Colombo, por volta das 19h (10h de Brasília).Em muitas ocasiões os ataques não são reivindicados, mas a guerrilha dos Tigres de Libertação da Pátria Tâmil (LTTE) costuma recorrer aos atentados contra ônibus de civis no país para fazer suas reivindicações. Em 4 de fevereiro, 12 civis morreram e outras 17 pessoas ficaram feridas em conseqüência da explosão de uma bomba na passagem de um ônibus no distrito de Welioya. Os tigres tâmeis lutam há mais de duas décadas para conseguir um Estado independente nas regiões do leste e do norte do país, onde a etnia tâmil é majoritária, frente à cingalesa que domina no resto da ilha.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.