Exército sírio é acusado de matar civis em cidade na fronteira com o Líbano

Segundo ativistas, duas mulheres e cinco homens foram mortos em 'ataques indiscriminados' das forças de segurança.

BBC Brasil, BBC

15 de maio de 2011 | 19h39

Pelo menos sete pessoas foram mortas por forças de segurança sírias em uma cidade no oeste do país, segundo ativistas.

Eles teriam morrido após "ataques indiscriminados" de militares em Talkalakh, que fica próxima à fronteira com o Líbano.

Ativistas disseram que duas mulheres e cinco homens foram mortos por militares em quatro bairros da cidade.

Desde sexta-feira, centenas de sírios deixaram a cidade após forças de segurança lançarem ofensivas para reprimir revoltas contra o governo.

Em todo o país, mais de 700 pessoas já morreram em dois meses de protestos contra o regime do presidente Bashar al-Assad, de acordo com ativistas.

Diálogo

O governo afirma que está combatendo "grupos armados de terroristas", que considera culpados pela morte de soldados e policiais.

É complicado confirmar as informações vindas da Síria, uma vez que o governo proíbe a entrada de jornalistas estrangeiros no país.

Porta-vozes de Assada se disseram dispostos a dialogar com os opositores, após o governo ter supostamente libertado diversos ativistas que estavam presos por causa dos protestos.

No entanto, a oposição afirma que só vai dialogar quando o governo cessar os ataques contra manifestantes.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.