Exército toma reduto do Taleban no Paquistão

Soldados controlam ponto estratégico da capital do Vale do Swat, área de atuação dos militantes

Reuters, Efe e AFP, ISLAMABAD, O Estadao de S.Paulo

25 de maio de 2009 | 00h00

O Exército do Paquistão anunciou ontem que seus soldados tomaram o controle de vários pontos estratégicos de Mingora, principal cidade do Vale do Swat, no norte do país. O governo ampliou ontem sua ofensiva contra o Taleban na cidade, caçando os militantes de casa em casa e ocupando a Praça Verde, onde os extremistas realizavam decapitações.A praça é conhecida pelos habitantes da região como "Encruzilhada Sangrenta", porque era o local onde o Taleban costumava abandonar corpos mutilados, muitos pendurados em árvores. Em nota oficial, Islamabad informou que 17 rebeldes e 3 soldados morreram em diferentes pontos. Outros 6 militares ficaram feridos e 14 insurgentes foram detidos."As forças de segurança estão envolvidas agora na limpeza de áreas com minas. Também estão efetuando operações de busca nas partes que já controlam", disse um porta-voz do Exército. "Os enfrentamentos prosseguem entre as forças de segurança e os milicianos na zona de Nawa Kilay, em Mingora, e no bairro de Qambar, no oeste da cidade."Segundo os militares, o ataque por terra a Mingora é uma etapa decisiva na ofensiva contra os fundamentalistas islâmicos no Vale do Swat. A cidade era controlada pelo Taleban e tem cerca de 300 mil habitantes, embora a maioria tenha fugido desde que começou o conflito, em maio. De acordo com fontes do governo, restam apenas 20 mil civis na cidade. Eles permanecem escondidos em suas casas, com pouco alimento e sem nenhum cuidado médico."Mingora é vital tanto para o Taleban quanto para o governo paquistanês. Os extremistas investiram pesado na região. Depois de terem dominado a área, minaram a cidade e tomaram algumas lojas", disse Ikram Sehgal, analista de segurança. "Mingora é a capital de Swat e tem um valor psicológico. Uma vitória aqui será um grande estímulo para as forças de segurança."O governo do Paquistão estima que 1,8 milhão de pessoas já fugiram da ofensiva militar, que começou no distrito de Lower Dir há quatro semanas e se estendeu a Buner e Swat. Cerca de 200 mil civis estão alojados em campos de refugiados situados no noroeste do país. PRIORIDADEO Exército informou que 15 mil soldados estão enfrentando cerca de 2 mil militantes islâmicos. A nova ofensiva dos paquistaneses contra o Taleban tem o apoio do presidente dos EUA, Barack Obama, que fez do Paquistão e Afeganistão sua prioridade na luta contra o terrorismo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.