Explosão atinge comitiva de político no sul da Rússia

Um carro repleto de explosivos, guiado por um militante suicida, explodiu perto da comitiva que levava o presidente da república russa da Ingushétia, Murat Zyazikov, deixando o líder regional levemente ferido. Zyazikov sugeriu que o ataque foi obra de rebeldes chechenos, determinados a exportar o conflito para a república vizinha. A Ingushétia abriga dezenas de milhares de refugiados chechenos e já foi palco de efeitos colaterais do conflito na Chechênia.Entretanto, grupos de direitos humanos afirmam que o ataque pode ter sido promovido por cidadãos locais insatisfeitos com Zyazikov, um ex-agente do Serviço Federal de Segurança que chegou à presidência da Ingushétia em 2002, com apoio do Kremlin.A explosão abriu no solo uma cratera de três metros de diâmetro por um metro de profundidade. O impacto estragou telhados de casas próximas e danificou o Mercedes blindado no qual Zyazikov viajava. Além do presidente, outras seis pessoas ficaram feridas, inclusive quatro guarda-costas. Segundo a agência de notícias ITAR-Tass os outros dois feridos eram pedestres, inclusive um menino de nove anos atingido por estilhaços.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.