Explosão atribuída ao ETA abala otimismo com cessar-fogo

Um segundo atentado a bomba em menos de uma semana atribuído ao grupo separatista basco ETA fez cair por terra a tão esperada trégua prometida por membros do governo espanhol há semanas. A explosão, ocorrida em uma construtora na noite desta quinta-feira na periferia de Bilbao, aconteceu horas depois de o presidente regional basco, Juan Jose Ibarretxe, dizer que o ETA talvez "anuncie brevemente um cessar-fogo". O grupo, que existe há 40 anos, já fez mais de 800 mortos.Para alguns analistas, a explosão pode ser uma última tentativa do grupo nacionalista de barganhar poderes. No entanto, outros acreditam que o otimismo do governo é perigoso ou infundado.Na terça-feira, o ETA explodiu um carro carregado com 80 quilos de explosivos na frente de uma boate, em Urdax, no momento em que uma conferência internacional sobre vítimas de terrorismo ocorria na cidade portuária de Valência. A conferência condenou o ETA pelo ataque e pediu para que o governo não negocie com terroristas.O ETA já havia anunciado que entregaria armas em outras duas oportunidades - a primeira em 1988 e a última há 14 meses. Durante esse tempo, alguns acordos de paz secretos foram firmados entre o antigo governo conservador espanhol e o grupo, mas ambas as partes não chegaram a acordo nenhum. Por isso, o ETA retomou os ataques.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.