TIM KEETON/EPA/EFE
TIM KEETON/EPA/EFE

Explosão em prédio na cidade britânica de Leicester deixa quatro mortos e quatro feridos

Vizinhos afirmaram que suas casas chegaram a tremer; autoridades locais informaram que não há indicação de que o incidente esteja ligado a terrorismo

O Estado de S.Paulo

26 Fevereiro 2018 | 04h14
Atualizado 26 Fevereiro 2018 | 10h37

LEICESTER, REINO UNIDO - Ao menos quatro pessoas morreram e outras quatro ficaram feridas, uma em estado grave, em razão de uma explosão que destruiu uma loja de conveniência e uma casa no centro da cidade britânica de Leicester, no domingo 25, informou a polícia.

+ Estrangeiros afetados por incêndio em Londres ganham visto de 12 meses

A explosão aconteceu por volta de 19h (16h em Brasília), transformando em escombros a loja e o apartamento localizado no andar superior do prédio.

+ Autoridade quis economizar em reforma de prédio que pegou fogo em Londres

“Há quatro vítimas fatais confirmadas nesta fase e um número de pessoas ainda sendo tratadas em hospitais”, disse o superintendente da polícia de Leicestershire, Shane O’Neill. “Nós acreditamos que pode haver pessoas que ainda não foram contabilizadas e os esforços de resgate continuam para localizar qualquer outra vítima.”

Os vizinhos afirmaram que suas casas tremeram em consequência da força da explosão, que provocou um incêndio que destruiu a loja que ficava no andar térreo do imóvel e os dois andares acima.

“Foi muito assustador", declarou Graeme Hudson, morador de Leicester. "Moro a cinco minutos (...), mas minha casa foi abalada. Saí e vi muita fumaça e chamas muito altas”, disse ele

"Quando o local for considerado seguro, os serviços de emergência começarão a examinar as circunstâncias do incidente", disse O’Neill, acrescentando que não há nenhuma indicação imediata de que a explosão esteja ligada a terrorismo. / REUTERS e AFP

Relembre: Sobreviventes do incêndio em um prédio em Londres relatam momentos de desespero

Mais conteúdo sobre:
incêndio Reino Unido [Europa]

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.