Explosão danifica escola muçulmana na Holanda

Uma bomba explodiu em frente ao portão de entrada de uma escola muçulmana estabelecida numa cidade do sul da Holanda, deixando um rastro de vidros estilhaçados pela rua dias depois da detenção de um radical islâmico acusado de assassinar um cineasta holandês, informou a polícia local. Não há informações sobre vítimas. O atentado contra a escola muçulmana em Eindhoven ocorreu por volta das 3h30 locais. O estabelecimento de ensino estava vazio no momento da explosão. A polícia local suspeita que o ato seja uma retaliação ao assassinato, na semana passada, do cineasta Theo van Gogh, disse Cees Dekkers, porta-voz da polícia em Eindhoven, situada cerca de 120 quilômetros ao sul de Amsterdã. O principal suspeito do crime é um radical islâmico que vive no país e foi detido menos de 24 horas depois do assassinato. Não ficou claro quem poderia estar por trás do atentado de hoje, disse Henrie van Pinxteren, outro porta-voz policial. As autoridades locais não revelaram qual foi o tipo de explosivo utilizado. Alexander Sakkers, prefeito de Eindhoven, reuniu-se com pais dos alunos da escola, disse que a cidade está chocada com o atentado e pediu à população que "fique unida". Segundo ele, a polícia está protegendo os locais islâmicos de Eindhoven enquanto investigadores tentam identificar possíveis suspeitos. No sábado, vândalos despejaram tinta vermelha em um centro social que ajuda imigrantes muçulmanos em Amsterdã.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.