Explosão danifica prédios do Judiciário em Atenas

Uma bomba explodiu hoje nos arredores de dois prédios do Judiciário no centro de Atenas. A explosão danificou carros e quebrou vidros dos prédios próximos, mas não deixou feridos. A bomba estava acoplada em uma motocicleta estacionada do lado de fora dos edifícios e explodiu às 8h20 (4h20 de Brasília), horário de tráfego intenso na capital grega.

AE, Agência Estado

30 de dezembro de 2010 | 10h11

Telefonemas avisando sobre a explosão haviam sido feitos para um jornal e uma emissora privada de televisão. A polícia evacuou os prédios administrativos, bem como um hospital nas proximidades. Autoridades de saúde confirmaram que ninguém ficou ferido.

Nenhum grupo assumiu a responsabilidade pelo ataque, mas as suspeitas recaem sobre grupos militantes gregos que realizaram atentados nos últimos dois anos. Alguns suspeitos de pertencer a esses grupos serão julgados no mês que vem. O homem que fez as ligações telefônicas foi descrito como alguém que falava grego com clareza.

A explosão ocorreu numa área densamente povoada do bairro Ambelokipi, quebrando vidros de janelas e vitrines de lojas num raio de 200 metros e produzindo uma nuvem de fumaça que pôde ser vista de vários pontos da cidade. Pelo menos dez carros ficaram seriamente danificados.

Segundo a polícia, um exame prévio do local indica que o explosivo Anfro foi usado - uma mistura de nitrado de amônia e óleo combustível. O material já foi usado por grupos terroristas gregos anteriormente e foi apreendido pela polícia nos últimos meses.

Atentados

Ataques de grupos anarquistas de extrema direita subiram 43% em 2009 na União Europeia na comparação com o ano anterior, segundo a agência de polícia do bloco, a Europol. A maioria dos incidentes ocorreu na Itália, Espanha e Grécia. Após o ataque de hoje, a Associação de Funcionários do Judiciário da Grécia pediu aumento da segurança policial em seus locais de trabalho.

Nesta semana, um pacote-bomba foi descoberto na embaixada da Grécia em Roma. A capital italiana também foi alvo de explosões recentes provocadas por bombas nas embaixadas do Chile e da Suíça. Segundo a polícia da Itália, um grupo italiano ligado a anarquistas gregos estava envolvido nos ataques.

Pelo menos doze suspeitos de pertencerem a um grupo anarquista violento intitulado "Conspiração Núcleos de Fogo" devem ser julgados no dia 17 de janeiro. O grupo assumiu a responsabilidade por uma série de pacotes-bomba enviados para embaixadas em Atenas e também para outros locais em novembro. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
GréciabombasexplosãoJudiciário

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.