Explosão de carro-bomba deixa 14 feridos em Madri

Um carro-bomba explodiu no fim da noite de ontem no centro de Madri, deixando 14 pessoas feridas em um ataque atribuído pelas autoridades espanholas ao grupo separatista ETA (Pátria Basca e Liberdade) a apenas dois dias antes das eleições regionais no País Basco. A explosão ocorreu em frente a uma agência do Banco Bilbao Vizcaya Argentaria (BBVA) na Calle de Goya, uma rua comercial do centro de Madri, por volta da meia-noite de sexta-feira para sábado. A polícia isolou a área imediatamente. Houve sérios danos materiais.Um guarda de segurança do BBVA ficou gravemente ferido, enquanto as outras 13 pessoas sofreram lesões leves e foram socorridas no local da explosão. Entre os feridos, estavam dois meninos de 10 anos, que sofreram ferimentos no ouvido.O ministro de Interior da Espanha, Mariano Rajoy, disse à imprensa que o ataque poderia ter resultado em "um grande massacre" e demonstrou que o ETA "não passa de um bando de assassinos". Nenhum grupo reivindicou a autoria do atentado, mas Rajoy informou que um telefonema anônimo feito por uma pessoa que dizia pertencer ao grupo separatista basco advertiu sobre o ataque 10 minutos antes de este ocorrer. Ainda de acordo com o ministro, o carro utilizado no ataque fora roubado dois dias antes em Madri e possuía registros falsos.Em 33 anos de campanha armada, o ETA já matou mais de 800 pessoas, entre as quais estão diversos membros dos partidos Popular e Socialista. O grupo luta pela criação de um Estado basco independente no nordeste da Espanha e no sudoeste da França.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.