Explosão de carro bomba mata 7 em Cabul

A explosão de um carro bomba do lado de fora do portão principal da sede da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) em Cabul, cinco dias antes das eleições presidenciais no Afeganistão, provocou a morte de sete pessoas e feriu outras 91. O atentado foi o pior ataque na capital afegã nos últimos seis meses.

AE, Agencia Estado

15 de agosto de 2009 | 09h45

O suicida burlou vários anéis de segurança instalados pela polícia afegã e detonou seus explosivos em frente à sede das forças militares internacionais, em um ataque possivelmente com intuito de enviar a mensagem de que o Taleban pode atacar qualquer parte do país, no momento em que o Afeganistão se prepara para a segunda eleição presidencial direta de sua história.

Os extremistas já advertiram os afegãos para que não votem e ameaçaram realizar atentados contra os postos de votação. O quartel general da Otan, onde está baseado o general norte-americano Stanley McChrystal, encontra-se perto da embaixada dos Estados Unidos e na mesma rua do Palácio Presidencial.

A explosão foi o primeiro atentado grave em Cabul desde fevereiro, quando oito extremistas do Taleban atacaram três prédios do governo de maneira simultânea, no coração da cidade, em um atentado que provocou a morte de 20 pessoas e os oito agressores.

O Afeganistão tem se preparado para ataques antes das eleições. Trabalhadores internacionais no país planejavam trabalhar de casa durante a próxima semana ou foram incentivados a deixar o país. Soldados norte-americanos, da Otan e do Afeganistão trabalhavam para proteger os locais de votação, particularmente em regiões onde os extremistas têm forte presença.

O presidente, Hamid Karzai, condenou o atentado e disse que os afegãos sabem a importância das eleições de quinta-feira. "Os inimigos do Afeganistão, ao conduzirem esses ataques, tentam criar medo entre as pessoas conforme nos aproximamos das eleições", disse ele, em comunicado, acrescentando que os afegãos "não temem qualquer ameaça e vão votar".

O Taleban assumiu a responsabilidade e disse que o alvo era a sede da Otan e a embaixada dos EUA. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
AfeganistãoatentadoOtan

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.