Explosão de carro-bomba mata seis no Parlamento da Somália

Pelo menos seis pessoas morreram nesta segunda-feirana sede do parlamento na cidade somali de Baidoa, 245 quilômetros aonoroeste de Mogadício, em um atentado com carro-bomba que, segundofontes oficiais, tinha o objetivo de assassinar o presidenteAbdullahi Yousef Ahmed. O porta-voz do Governo de transição, Abdulrahman Dinari,confirmou à Efe a morte de seis pessoas, mas disse desconhecer aidentidade dos autores do atentado. Dinari acrescentou que a bomba explodiu quando Ahmed encerrava umdiscurso na Câmara e insistiu em que a bomba pretendia acabar comsua vida. O parlamento somali foi convocado nesta segunda-feira para analisar a composiçãode um novo governo designado pelo primeiro-ministro, Mohammed AliGhedi. O porta-voz acrescentou que iniciou uma investigação paralocalizar e deter os autores do atentado. A Somália vive sem um governo central desde que, em 1991, foiderrubado o ditador Mohammed Siad Barre, o que abriu uma luta entreos diferentes clãs para controlar o país, à qual se somaramrecentemente os milicianos dos Tribunais Islâmicos. Baidoa é a cidade mais importante controlada pelas autoridadesprovisórias que foram escolhidas no Quênia em 2004 com a missão dedevolver a tranqüilidade institucional ao país. Os Tribunais Islâmicos se apoderaram da capital, Mogadício, e devários setores do sul e do centro da Somália. O governo provisório e os Tribunais Islâmicos assinaram váriosacordos que buscam a reconciliação entre as duas partes, mas seusvínculos são muito instáveis.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.