Explosão de carros-bomba deixa 34 mortos no Iraque

Pelo menos 34 pessoas morreram e dezenas ficaram feridas, segundo informações de fontes policiais e médicas, nos ataques ocorridos em Samarra, ao norte de Bagdá. Dois carros-bomba e um projétil lançado por um morteiro explodiram na madrugada de sábado perto da prefeitura e num mercado no centro da cidade iraquiana de Samarra, matando 23 pessoas - inclusive dois policiais - e ferindo pelo menos outras 40. No primeiro ataque, um suicida explodiu uma rádio-patrulha, roubada, nas proximidades do escritório do prefeito de Samarra. Outro carro-bomba atingiu uma área residencial e o tiro de morteiro caiu num mercado, bastante movimentado no momento da explosão. Em setembro, forças norte-americanas e iraquianas haviam tomado o controle de Samarra. Desde então, segundo autoridades iraquianas, a cidade vinha sendo apresentada como exemplo de colaboração com os norte-americanos e de que Bagdá poderia restabelecer a ordem em locais mais violentos do país. Durante 17 meses, os insurgentes realizaram freqüentes atentados em Samarra contra funcionários iraquianos. Em Faluja, aviões americanos realizaram um dos bombardeios mais pesados até agora, indicando que estão se preparando para tomar a cidade. Residentes afirmaram que um hospital financiado pelos sauditas foi completamente destruído. Um depósito de medicamentos também foi atingido. Grande parte dos morados já deixou Faluja e tropas americanas esperam apenas a autorização do primeiro-ministro iraquiano, Iyad Allawi, para iniciar o ataque definitivo.Renúncia - Robert Blackwill, um dos principais assessores de Bush para o Iraque, planeja renunciar ao cargo nos próximos dias. De acordo com a imprensa americana, Blackwill já havia dito havia meses a Condoleezza Rice, assessora de Segurança Nacional, que pretendia deixar o cargo depois das eleições.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.