Explosão de granada deixa sete feridos na capital de Ruanda

Ataque ocorre dois dias após eleições no país; presidente eleito é acusado de reprimir oposição

AP,

11 de agosto de 2010 | 17h48

KIGALI, RUANDA- Uma granada explodiu perto de um ponto de ônibus na capital de Ruanda e deixou ao menos sete pessoas feridas nesta quarta-feira, 11. O ataque ocorreu dois dias após as eleições presidenciais do país, que reelegeram Paul Kagame com 93% dos votos.

 

Kagame é responsável pelo forte crescimento econômico do país, mas recebe críticas de seus opositores, que acusam o presidente de reprimir a oposição ruandesa. Partidos da oposição foram banidos das eleições e alguns ruandeses denunciaram ter sido forçados a votar em Kagame.

 

Segundo um porta-voz policial, sete pessoas ficaram feridas com a explosão da granada. Dessas, duas estão em estado grave. Segundo fontes que presenciaram o incidente, cerca de 20 pessoas ficaram feridos.

 

Vários ataques com granadas já ocorreram neste ano em Ruanda. Em fevereiro, autoridades acusaram um general oposicionista de ser o responsável por dois atentados perpetrados no mês. Faustin Kayumba Nyamwasa, ex-chefe das Forças Armadas, foi ferido por disparos dias depois. Sua esposa culpou Kagame.

 

A oposicionista mais proeminente de Ruanda, Victoire Ingabire, disse que teme uma nova onda de violência no país por causa da política de Kagame com a etnia Hutu. Victorie foi presa no começo desse ano por crimes relacionados a ideologia suicida e não foi permitida a concorrer às eleições.

 

Mais de 500 mil ruandeses, tutsis e hutus moderados em sua maioria, foram mortos no genocídio de 1994. Kagame, da etnia tutsi, tem tentado diminuir a importância das etnias após o massacre, e a população raramente se qualifica como tutsi ou hutu.

 

Grupos de direitos humanos têm chamado a atenção para a prisão de vários líderes da oposição antes das eleições de segunda, e notaram que vários deles foram mortos ou presos em circunstâncias suspeitas. O governo negou qualquer envolvimento nos ataques.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.