Omar Sobhani/Reuters
Omar Sobhani/Reuters

Explosão de homem-bomba mata ao menos 12 em Cabul

Proximidade das eleições parlamentares e distritais vem piorando o cenário da segurança do país

O Estado de S.Paulo

04 Junho 2018 | 05h23

CABUL - Um homem-bomba matou, nesta segunda-feira, 4, pelo menos 12 pessoas na capital afegã Cabul, onde clérigos muçulmanos se reuniam para denunciar o terrorismo e pedir paz, segundo autoridades locais. Nenhum grupo assumiu até o momento a autoria do ataque, que ressalta um agravamento da situação de segurança antes das eleições parlamentares e distritais do conselho marcadas para o dia 20 de outubro.

+ Turistas buscam 'última chance de viajar' para destinos em risco

Uma série de atentados em Cabul matou dezenas de pessoas nos últimos meses e não mostrou nenhum sinal de melhora durante o mês sagrado muçulmano do Ramadã. Na quarta-feira, homens armados com fuzis e lança-granadas invadiram a sede do Ministério do Interior e confrontaram forças de segurança por horas.

Em abril, duas explosões em Cabul mataram ao menos 26 pessoas, incluindo nove jornalistas que relatavam uma explosão inicial e acabaram sendo vítimas de um homem-bomba. Uma semana antes, 60 pessoas foram mortas e mais de 100 ficaram feridas quando um homem-bomba se explodiu em frente a um centro de registro eleitoral na cidade.

+ Erupção de vulcão deixa ao menos 25 mortos na Guatemala

O grupo jihadista Estado Islâmico reivindicou a autoria de muitos ataques em Cabul, mas autoridades de segurança dizem que alguns devem ser da rede Haqqani, um grupo afiliado ao Taleban, que tenta impor um rigoroso regime islâmico depois sua expulsão de 2001 pelas forças apoiadas pelos EUA. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.