Explosão de paiol em Moçambique causa 93 mortes

Um depósito de armas explodiu no aeroporto de Maputo na quinta-feira, 22, ocasionando ao menos 93 mortes e deixando mais de 300 feridos.O presidente de Moçambique, Armando Guebuza, visitou o local e um hospital para onde foram levadas vítimas nesta sexta-feira.Ele pediu à nação - devastada por enchentes e ciclones ao longo dos últimos dois meses - que permaneça calma."Nós estamos em luto", disse Guebuza, que cancelou uma viagem oficial que faria à África do Sul e convocou uma reunião emergencial de gabinete.O ministro da Saúde de Moçambique, Ivo Garrido, alertou que o número de vítimas tende a aumentar ainda porque as equipes de resgate continuavam retirando corpos carbonizados das casas próximas do aeroporto.De acordo com Garrido, há muitas crianças entre os mortos e feridos. As vítimas também incluem militares moçambicanos que trabalhavam no depósito e civis que habitam um bairro pobre e populoso no entorno do aeroporto.O Ministério da Defesa apontou as altas temperaturas dos últimos meses como a provável causa da explosão do arsenal. Ontem, as temperaturas em Maputo chegaram aos 35 graus. Em janeiro, o calor também foi apontado como causa de uma explosão que feriu três pessoas no mesmo depósito de armas.Uma das conseqüências do acidente foi o fechamento, na tarde de quinta-feira, do aeroporto internacional de Maputo, devido aos restos de um ônibus na pista de aterrissagem. Alguns vôos nacionais e internacionais foram cancelados.Em 1985, em plena guerra civil entre o governo e os rebeles do antigo Movimento Nacional Moçambicano (Renamo), o mesmo local explodiu, deixando 12 mortos e causando o pânico entre os habitantes da capital do país.Autalizado às 18h13.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.