Explosão deixa 17 feridos na Turquia

Pelo menos 17 pessoas ficaram feridas neste sábado, dentre as quais cinco policiais, na explosão de um caminhão carregado de explosivos junto a um centro social da Polícia na cidade de Igdir, no leste da Turquia, próximo da fronteira com a Armênia.Segundo a imprensa local, a explosão ocorreu às 20h30 (horário local). Até o momento, nenhum comunicado oficial foi divulgado. As fontes disseram que dois dos feridos se encontram em estado crítico. Em 12 de setembro um atentado assumido por uma organização terrorista de extrema direita, na localidade de Diyarbakir, no sudeste do país, causou a morte de 10 pessoas, dentre as quais sete crianças.As Brigadas da Vingança afirmaram que o atentado era realizado em vingança pela morte de policiais e cidadãos por ativistas do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK).No dia 15, dois supostos rebeldes curdos e um policial morreram em um enfrentamento em uma zona rural do sudeste da Turquia, de maioria curda. No final de agosto uma série de atentados contra alvos turísticos acabaram com a vida de cinco pessoas e deixaram dezenas de feridos, vários deles estrangeiros. O grupo Aguilas de Libertação do Curdistão, supostamente relacionado ao PKK, assumiu, através de comunicados em seu site, a autoria dos atentados. O PKK pegou em armas em 1984 para exigir a autodeterminação dos cerca de doze milhões de curdos do Curdistão turco. Mais de 35 mil pessoas perderam a vida na guerra não declarada entre o PKK e as forças de segurança. Em 1999, o líder da organização, Abdullah Ocalan, foi preso pelos turcos e a organização declarou uma trégua. Em 2004, os enfrentamentos foram retomados, e ganharam força no ano passado no sudeste do país. Segundo as autoridades, os rebeldes têm bases no Curdistão iraquiano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.