Explosão deixa ao menos 48 mortos e 50 feridos no Paquistão

Pelo menos 48 pessoas morreram e mais de 50 ficaram feridas após a explosão de uma bomba na cidade de Karachi, no sul do Paquistão, nesta terça-feira. As vítimas participavam de uma oração pública pelo profeta Maomé, disseram fontes oficiais. A explosão aconteceu quando centenas de pessoas participavam de uma reunião no parque Nishtar organizada pelo movimento sunita Suni Tehrik para comemorar o aniversário do nascimento de Maomé. O ministro do Interior paquistanês, Aftab Ahmad Sherpao, confirmou o número de vítimas e disse que quinze feridos estão em estado muito grave. Segundo Sherpao, a bomba tinha sido colocada debaixo do palanque onde as orações eram dirigidas. Dois importantes clérigos sunitas, líderes do Suni Tehrik, estão entre os mortos. A maioria das vítimas foi levada ao hospital Jinnah, em Karachi, mas pelo menos nove foram enviadas para o hospital Liaqat National e outras seis para o Abassi Shaheed. Após a explosão, houve muita confusão no local. Enquanto alguns tentavam resgatar as vítimas, policiais atiraram para o alto para dispersar a multidão. Algumas pessoas queimaram carros e atiraram pedras nas forças de segurança depois da explosão, informou uma testemunha no local. Por enquanto, nenhum grupo assumiu a autoria deste atentado no Paquistão, onde são freqüentes os ataques de caráter religioso entre as comunidades sunita e xiita, esta última minoritária. Sherpao afirmou à rede de TV Geo que as autoridades estão investigando se o ataque foi causado por um terrorista suicida. Milhares de pessoas morreram na última década devido à violência religiosa no país, onde os confrontos mais freqüentes são entre as duas principais vertentes islâmicas, os xiitas e os sunitas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.