Yahya Nemah/EFE
Yahya Nemah/EFE

Explosão deixa pelo 23 mortos na Síria

Caso ocorreu na cidade de Idleb, na fronteira da Síria com a Turquia; ataque teve como alvo os rebeldes que controlam a cidade

O Estado de S.Paulo

08 Janeiro 2018 | 06h27

IDLEB - Uma explosão na cidade de Idleb, no noroeste da Síria, deixou pelo menos 23 mortos e feriu outras dezenas de civis, informou a ONG Observatório Sírio de Direitos Humanos, no domingo, 7. 

+ A velha ameaça do Estado Islâmico em 2018

A ONG disse que a explosão teve como alvo a sede de uma facção rebelde. A maior parte dos mortos era de opositores ao governo, mas outros sete civis também perderam a vida. Entre os feridos há casos graves e críticos, o que pode aumentar o número de mortos. Não se sabe se a explosão foi causada por um bombardeio aéreo ou por um carro-bomba. 

+ Em plena guerra, Síria se aproxima da Copa do Mundo e faz festa

Combatentes vindos de países asiáticos, principalmente da Ásia Central, fazem parte de facções islamitas e jihadistas na Síria. “Uma explosão violenta ocorreu no quartel-general dos Soldados do Cáucaso na cidade de Idleb e matou 23 pessoas, sete delas civis”, declarou à AFP o diretor do OSDH, Rami Abdel Rahman.

Dezenas de pessoas ficaram feridas na explosão, a maioria combatentes, acrescentou. O local ficou totalmente destruído e os prédios vizinhos, severamente danificados.

+ Rússia propõe que Brasil integre missão de paz na Síria

A província de Idleb, um reduto dos rebeldes, é controlada quase em sua totalidade por uma aliança apoiada pela Al Qaeda e outros grupos armados que lutam contra as forças leais ao presidente Bashar Assad. O Exército sírio perdeu o controle da região para os insurgentes em 2015. A província é a única controlada pela oposição. / EFE e AFP

Mais conteúdo sobre:
Síria [Ásia]

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.