Explosão deixa pelo menos 20 mortos na capital da Somália

Bomba escondida embaixo de montanha de lixo explodiu em grande avenida; ao menos 42 ficaram feridos

Agência Estado, Associated Press e Efe,

03 de agosto de 2008 | 09h36

Uma explosão deixou neste domingo, 3, pelo menos 20 mortos na capital da Somália. Uma bomba escondida embaixo de uma montanha de lixo explodiu em uma grande avenida, matando 15 pessoas, incluindo dez mulheres que limpavam a rua.   O Hospital Medina recebeu 47 feridos, mas cinco deles morreram, informou o diretor da instituição, Dahir Dhere, o que elevou o número de vítimas para 20. Ele afirmou que a maioria dos feridos são mulheres e crianças e que muitos estão em situação crítica.   A explosão aconteceu na estrada de Dakba, por onde circulam diariamente as forças etíopes e da União Africana que estão mobilizadas na capital da Somália.   Hassan Hareed, que presenciou a explosão, disse à Agência Efe que ouviram um forte estrondo e, quando foram ao local, dezenas de mulheres "jaziam na estrada". "A maioria das mulheres morreram ali mesmo", acrescentou Hareed.   Nenhum grupo reivindicou a autoria do atentado, mas o porta-voz da Polícia do governo provisório da Somália, coronel Abdulahi Hassan Barrise, já acusou os radicais islâmicos do Al-Shabab de ser os causadores do massacre. "Isto é um ato terrorista, e por trás dele está o Al-Shabab", disse Barrise à imprensa.   "Querem aterrorizar as mulheres para que não recolham o lixo e, assim, eles podem utilizar os locais para esconder as bombas", acrescentou.   Uma explosão semelhante matou há 48 horas um soldado ugandense das forças de paz da União Africana que estava procurando minas antipessoais na estrada que leva ao aeroporto.   A Somália vive em um estado de anarquia e não tem um governo eficiente desde que o ditador Mohammed Siad Barre foi derrubado, em 1991.  

Tudo o que sabemos sobre:
Somáliaexplosão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.