Explosão deixa três mortos nas Filipinas

Uma bomba de alto poder de destruição repleta de pregos explodiu na noite de hoje, dentro de um restaurante freqüentado por soldados de uma base militar adjacente, matando um sargento norte-americano e dois filipinos e ferindo outras 25 pessoas em Zamboanga, no sul das Filipinas. A explosão destruiu o telhado de uma casa de madeira e danificou seis lojas próximas. A televisão local mostrou uma poça de sangue e vítimas inconscientes - algumas com as roupas ensangüentadas - sendo levadas para ambulâncias.O canal de televisão GMA7 informou ainda que uma bomba de fabricação caseira explodiu hoje perto de um quartel da polícia em Imus, na província de Cavite, ao sul de Manila. Um carro estacionado foi danificado. Não houve vítimas. Além disso, policiais circularam com cães farejadores por 18 estações de trem em Manila após receberem informações de que rebeldes poderiam atacar trens ou estações nesta quarta-feira.Uma fonte do Exército filipino comentou que oficiais tentaram apurar se as duas situações tinham alguma ligação com a explosão em Zamboanga, 850 quilômetros ao sul de Manila. A bomba em Zamboanga foi colocada numa motocicleta e matou o piloto, um filipino "suspeito de ser quem levou a bomba", disse o secretário de Defesa das Filipinas, Angelo Reyes. "A presidente deu instruções para que iniciemos as investigações imediatamente.Ele também pediu para darmos assistência às vítimas e suas famílias e determinarmos os suspeitos", disse Reyes. Segundo ele, uma força-tarefa conjunta já foi formada para investigar o caso. O coronel Alexander Yapching, chefe da Força-Tarefa Zamboanga, encarregada de evitar atentados na cidade, informou que um sargento do Exército dos Estados Unidos morreu a caminho do hospital e outro norte-americano ficou ferido. Uma fonte ligada ao alto escalão do Exército filipino disse que o norte-americano está na unidade de terapia intensiva, mas seus ferimentos aparentemente não colocam em risco sua vida.ResponsáveisNenhum grupo assumiu a responsabilidade pelo atentado. Também não há informações imediatas sobre os supostos responsáveis pela explosão, ocorrida por volta das 21h locais, disse em Washington um agente do serviço secreto norte-americano. Karen Kelly, a porta-voz da Embaixada dos EUA em Manila, ainda não se manifestou sobre o episódio.Cinco soldados filipinos estão entre os feridos. Especialistas em bombas coletaram destroços no local da explosão, incluindo grande número pregos que se encontravam dentro do artefato. Dois norte-americanos em trajes civis estavam nos arredores conversando em telefones celulares. Soldados filipinos conduziam cães farejadores pela área. Os norte-americanos foram levados para o hospital militar do Comando Sul do Exército das Filipinas, a cerca de três quilômetros do local da explosão.A entrada do complexo militar estava fechada e o local é fortemente guardado. A segurança na cidade já fora fortalecida devido às festividades cristãs de 12 de outubro, mas postos de checagem logo foram estabelecidos nas principais ruas de Zamboanga e nos arredores de uma usina de energia elétrica. "Devemos ser cuidadosos", comentou Yapching. "Não sabemos onde nossos inimigos podem atacar."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.