Explosão deixa um morto perto de prisão nas Filipinas

Ilha de Jolo está em estado de emergência desde que foram sequestrados três voluntários da Cruz Vermelha

Efe,

05 de dezembro de 2009 | 04h16

Uma pessoa morreu e outras seis ficaram feridas neste sábado, 5, ao explodir uma bomba na ilha filipina de Jolo, onde as Forças de Segurança tentam eliminar o grupo extremista Abu Sayyaf.

 

A explosão junto à prisão municipal de Jolo, ao lado da delegacia de polícia, aconteceu por volta das 4h10 local (18h10 da sexta-feira, 4, horário de Brasília), informou o chefe do Comando Ocidental do Exército, tenente-general Ben Dolorfino.

 

Dolorfino identificou a vítima mortal como um funcionário da limpeza da prisão, enquanto os feridos são seis agentes da Polícia, que foram levados ao hospital provincial de Jolo.

 

A explosão, que causou um incêndio, danificou a delegacia e a prisão e deixou uma cratera de 4,5 metros de diâmetro e quase dois metros de profundidade, acrescentou Dolorfino.

 

A ilha de Jolo permanece sob o estado de emergência desde o começo do ano, após o sequestro de três voluntários do Comitê Internacional da Cruz Vermelha no dia 15 de janeiro, e que posteriormente foram postos em liberdade após vários meses de cativeiro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.