Explosão e confronto em cidade afegã

A violência voltou com força neste domingo à volátil cidade de Khost, no sudeste do Afeganistão, com uma explosão numa loja de discos que deixou cerca de 12 feridos e confrontos entre forças governamentais e as de um senhor da guerra local.Em Khost estão estacionados soldados da coalizão internacional liderada pelos EUA. Mohammad Khan Gubuz, porta-voz do governo de Khost, citado pela agência Afghan Islamic Press (AIP), disse que a bomba explodiu entre um grupo de pessoas numa loja de discos e vídeos no mercado de Madina. Segundo o porta-voz, o atentado "poderia ser obra dos talebans ou de membros da Al-Qaeda". E na província de Khost, disseram testemunhas locais citadas pela agência ANSA, 16 pessoas morreram nas últimas horas em razão de conflitos tribais que vêm ocorrendo desde a última quinta-feira. A origem dos combates, segundo essas fontes, seriam velhas disputas tribais pela terra. Já um porta-voz do ministério do Interior afegão, Alishash Paktiawal, disse que a luta entre as forças governamentais e as do senhor da guerra Bacha Khan Zadran irrompeu na tarde deste domingo. Zadran, um opositor do governo interino liderado pelo presidente Hamid Karzai, considera ilegal o governador provincial nomeado por Karzai. Por sua vez, o atual presidente partiu neste domingo de Cabul em direção aos EUA, onde participará da Assembléia Geral da ONU e das cerimônias do primeiro aniversário dos atentados de 11 de setembro. Durante uma escala de seu avião na cidade alemã de Frankfurt, Karzai disse que os combatentes da Al-Qaeda e os ex-governantes talebans que lhes deram refúgio "estão derrotados como movimento, mas continuam atuando como indivíduos". "Por isso mesmo - acrescentou - podem tentar alguns atos desesperados". Karzai, que sobreviveu ileso a um atentado na semana passada, prometeu que continuará "a lutar contra o terrorismo".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.