EFE / EPA / BILAWAL ARBAB
EFE / EPA / BILAWAL ARBAB

Explosão em casa de estudos islâmicos deixa sete mortos e 50 feridos no Paquistão

Os mortos têm entre 20 e 40 anos e entre os feridos estão crianças

AFP, O Estado de S.Paulo

27 de outubro de 2020 | 04h31

PESHAWAR - Pelo menos sete pessoas morreram e 50 ficaram feridas em uma explosão de bomba nesta terça-feira, 27, em uma madrasa (casa de estudos islâmicos) em Peshawar, noroeste do Paquistão, de acordo com as fontes policiais.

"A explosão ocorreu durante o ensino do Alcorão. Alguém trouxe uma bolsa (bomba) para o seminário religioso", disse Waqar Azim, um policial, à AFP. O saldo subiu para sete mortos e 50 feridos, disse Mohammad Ali Gandapur, outro policial, à AFP. O saldo anterior era de quatro mortos e 34 feridos.

Por sua vez, Mohammad Asim Khan, porta-voz de um hospital local, disse que a instalação recebeu sete corpos e 70 feridos. Os mortos têm entre 20 e 40 anos e entre os feridos estão crianças, acrescentou.

A pessoa que plantou a bomba retirou-se antes da explosão, disse o policial Waqar Azim. Até o momento nenhum grupo assumiu a responsabilidade pelo ataque.

O ataque acontece depois de meses de relativa calma no Paquistão, e especialmente em Peshawar, que já foi devastada por ataques diários, mas onde a segurança melhorou consideravelmente.

A violência extremista diminuiu no Paquistão após várias operações militares em áreas tribais na fronteira com o Afeganistão. Mas alguns grupos ainda estão em posição de cometer ataques.

Em 2014, um ataque do Talibã do Paquistão contra uma escola em Peshawar matou mais de 150 pessoas, a grande maioria crianças. Em seguida, o exército paquistanês intensificou as operações contra os grupos armados.

Tudo o que sabemos sobre:
AlcorãoPaquistão [Ásia]Islamismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.