Explosão em estação de metrô na Bielo-Rússia mata 11 e fere 126

Considerado um atentado pelas autoridades, incidente ocorreu a 100 m da sede do governo nacional

, O Estado de S.Paulo

12 de abril de 2011 | 00h00

MINSK

Pelo menos 11 pessoas morreram e 126 ficaram feridas em uma forte explosão na estação de metrô de Oktuabrskaya em Minsk, capital da Bielo-Rússia, no fim da tarde de ontem. O local do incidente fica a 100 metros do prédio que abriga a administração do governo do presidente Alexander Lukachenko.

Segundo investigações preliminares, a explosão seria fruto de um atentado. "Não descarto a possibilidade de que tenham nos trazido esse "presente" (o terrorismo) do exterior. Mas temos de olhar para dentro. Os culpados devem ser encontrados", declarou o presidente ao visitar o local.

Pouco depois, durante uma reunião com seus principais ministros veiculada pela TV, Lukachenko estabeleceu uma possível ligação entre o atentado e uma explosão em um show de rock, em 2008. Cerca de 50 pessoas ficaram feridas no concerto, que contava com a presença do presidente e outras autoridades.

No poder desde 1994 e reeleito pela última vez em dezembro, em meio a protestos populares e denúncias de corrupção, Lukachenko ordenou ontem que todo o arsenal bielo-russo fosse revisado. Considerado o último ditador da Europa, Lukachenko nomeou o chefe de seu serviço secreto, a KGB (como o da época da União Soviética), para conduzir as investigações.

Lukachenko ainda aceitou a ajuda oferecida pelo presidente russo, Dmitri Medvedev, e mandou reforçar a segurança no país.

Segundo testemunhas, a maioria das pessoas morreu ou se feriu quando a escada rolante que levava à saída da estação de metrô Oktuabrskaya desabou por causa da explosão. Tevês exibiam a imagens da rua diante da estação com bombeiros, médicos e mesmo pedestres socorrendo os feridos deitados no chão. Muitos sofreram ferimentos principalmente nas pernas. / REUTERS e EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.