AP
AP

Explosão em fábrica de plástico deixa ao menos um morto e 27 feridos na Tailândia

Impacto sacudiu um terminal de aeroporto nos arredores de Bangkok e levou à evacuação da área

Redação, O Estado de S.Paulo

05 de julho de 2021 | 02h22

BANGKOK — Uma grande explosão em uma fábrica nos arredores de Bangkok matou ao menos uma pessoa e feriu outras 27 nesta segunda-feira, 5, na TailândiaO impacto danificou janelas e outras estruturas próximas, sacudiu um terminal do aeroporto da capital e levou à evacuação de residentes da área, disseram autoridades.

O incêndio começou por volta das 3 da manhã (horário local, noite de domingo em Brasília) em uma fábrica de plástico perto do aeroporto de Suvarnabhumi. Uma densa cortina de fumaça preta subiu acima da fábrica em chamas e podia ser a 35 km de distância. A causa da explosão é ainda desconhecida.

"Temos 27 feridos, a maioria devido aos cortes, e um falecido, que era bombeiro", disse Somsak Kaewsena, chefe do distrito de Bang Pli, onde se encontra a fábrica taiwanesa Ming Dih Chemical Co..

Imagens publicadas pela mídia tailandesa mostraram bombeiros escalando destroços de aço retorcido para colocar mangueiras perto o suficiente das chamas enquanto lutavam para controlar o fogo. Outras fotos mostraram casas próximas com as janelas quebradas e destroços nas ruas, com fumaça negra subindo sobre a área mesmo horas depois.

Autoridades ordenaram a evacuação da área ao redor do incêndio por medo que o vazamento de produtos químicos causasse mais explosões. Abrigos foram instalados em uma escola e em um escritório do governo para os que foram forçados a deixar suas casas.

"Não sabemos se ainda há algo que possa explodir", disse Kaewsena, acrescentando que as autoridades ainda trabalham para controlar o fogo.

Os membros dos serviços de emergência circulam pelo bairro em carrinhas pedindo aos habitantes locais, através de megafones, que abandonem a área por segurança.

Um trabalhador de resgate voluntário disse à TV pública que estava tendo dificuldade para encontrar pessoas que possivelmente ainda estavam na fábrica. "Estamos tentando procurá-los", disse. "Mas as chamas são bastante altas, então é preciso muito esforço." Ele afirmou que equipes de resgate também estavam se espalhando pela área para ajudar os feridos, que estão sendo levados a um hospital próximo para tratamento. Das 11 vítimas relatadas até o momento, uma está em estado grave. 

Os bombeiros usaram helicópteros para despejar água em áreas de difícil acesso no grande complexo. No meio da manhã, o incêndio principal na fábrica Ming Dih Chemical foi controlado, mas um enorme tanque contendo monômero de estireno continuou a queimar, disse o oficial local de prevenção de desastres. Não houve nenhuma posição imediata sobre o que poderia ter causado a explosão, e a empresa responsável pela fábrica não respondeu a chamados por telefone.

O monômero de estireno é um produto químico líquido perigoso usado na produção de pratos descartáveis, copos e outros produtos, e pode produzir gás venenoso quando inflamado.

Jaruwan Chamsopa, que mora a cerca de 3 quilômetros da fábrica, disse que a forte explosão no meio da noite quebrou as janelas de sua casa, danificou o telhado e derrubou partes do teto. Ela acrescentou que as janelas de todas as casas em sua rua também foram quebradas.

"Fiquei chocada quando a explosão aconteceu", disse à Associated Press. "Eu saí e vi um grande fogo no céu."

Jaruwan disse que ela, o marido e a mãe não deixaram o local antes das 8 da manhã. "Não sabia que seria uma substância química tão perigosa que me faria ter de sair", disse. "Estou preocupada porque a fumaça preta atingiu minha casa."

A mídia local informou que a explosão inicial sacudiu o edifício do terminal em Suvarnabhumi, disparando alarmes no principal aeroporto internacional de Bangkok. Autoridades do aeroporto disseram que nenhum voo foi cancelado, mas não deram outros detalhes imediatos./AP

Tudo o que sabemos sobre:
Tailândia [Ásia]

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.