Explosão em hotel mata ao menos sete no México

Acúmulo de gás natural no subsolo pode ter causado o acidente, que deixou pelo menos 15 feridos

BBC

15 de novembro de 2010 | 11h39

Dois canadenses estão internados em estado grave no hospital.

 

CIDADE DO MÉXICO - Já chega a sete o número de mortos na explosão ocorrida no domingo em um hotel de luxo na Riviera Maia, no México, segundo a imprensa mexicana.

O acidente, que aconteceu no hotel Grand Riviera Princess, em Playa del Carmen (a cerca de 90 quilômetros de Cancún), pode ter sido causado por um acúmulo de gás natural.

Autoridades mexicanas afirmam que pelo menos cinco turistas canadenses e dois funcionários mexicanos foram mortos e cerca de 15 pessoas ficaram feridas, segundo o jornal La Jornada. Acredita-se que uma criança está entre os mortos e dois canadenses estão internados em estado grave.

O promotor do Estado de Quintana Roo, Francisco Alor, disse à mídia local que o piso do hotel foi empurrado em direção ao teto pela força da explosão, quebrando janelas e espalhando entulho pela área.

Ele afirmou que autoridades investigam se o hotel, que fica em uma plataforma de concreto em uma área pantanosa perto da praia, foi construído corretamente.

"O relatório sugere que houve uma acumulação de gases produzidos pela decomposição de material orgânico no subsolo. Esse gás causou a explosão", afirmou.

"Examinadores e oficiais da defesa civil terão que determinar se o subsolo preenchido com água do pântano que permaneceu nessa área quando o prédio foi construído, há quatro anos, criou esse tipo de gases." O hotel foi isolado pelo Exército mexicano e pela polícia.

 

BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
explosãoméxicoturistas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.