Explosão em hotel próximo de mesquita mata 13 no Paquistão

Pelo menos 71 estão feridos; até agora, nenhum grupo radical assumiu a autoria do atentado

Agência Estado e Associated Press,

27 Julho 2007 | 11h01

Pelo menos 13 pessoas morreram e 71 ficaram feridas nesta sexta-feira, 27, após a explosão de uma bomba em um hotel nem Islamabad, informaram fontes policiais.   Veja também: Estudantes voltam a ocupar Mesquita Vermelha   Imagens exibidas por emissoras paquistanesas de televisão mostravam vítimas queimadas e ensangüentadas sendo retiradas dos escombros e colocadas em ambulâncias. Até o momento, nenhum grupo reivindicou a autoria do ataque.   Javed Iqbal Cheema, um alto oficial do Ministério do Interior, afirmou que sete policiais estão entre os mortos.   Amir Mehmood, que identificou-se como testemunha, disse que a explosão ocorreu dentro do Hotel Muzaffar, estabelecido numa zona comercial a 500 metros da mesquita.   Mais cedo, a polícia de Islamabad havia lançado bombas de gás lacrimogêneo em uma tentativa de dispersar centenas de estudantes religiosos que ocuparam nesta sexta-feira a Mesquita Vermelha para a exigir o retorno de um clérigo ultraconservador simpático ao Taleban detido pelas autoridades locais.   A reocupação da mesquita pelos estudantes ocorre duas semanas depois de um cerco ao templo islâmico estabelecido na capital paquistanesa ter terminado com a morte de mais de cem pessoas, segundo números oficiais.   Os estudantes atiraram pedras nos policiais posicionados em frente à mesquita. A polícia lançou bombas de efeito moral depois que os manifestantes não atenderam aos apelos para que se retirassem pacificamente.   Os participantes do protesto refugiaram-se no interior do complexo onde fica a mesquita. Num alto-falante, antes da explosão no hotel, um orador pedia para que os manifestantes não atacassem os policiais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.