Explosão em indústria química chinesa mata 22

Reator químico da Fuyuan Chemical, empresa mista sino-alemã localizada no leste da China, explodiu nesta sexta-feira. O número de mortos já chega a 22, com três desaparecidos e 28 feridos, entre eles os diretores da companhia, informou a agência oficial "Xinhua".A explosão aconteceu na manhã desta sexta-feira, horário local, quando a empresa ainda não tinha iniciado sua produção. As instalações ficam na cidade de Linhai, no distrito de Sheyang, província Jiangsu, no leste do país.Segundo as últimas investigações, o reator químico explodiu num dos testes para sua implementação, quando 71 trabalhadores estavam no local. Apenas 21 conseguiram escapar. Relatórios divulgados pela "Xinhua" apontam para uma "falha nas operações" por parte dos trabalhadores.Entre os 28 feridos se encontram o presidente, o diretor-geral e o subdiretor da companhia, que estão hospitalizados. A fábrica produziria dicloro fluorobenzeno para uso industrial. A substância é inflamável, causa irritações na pele, tem efeitos graves para a saúde humana em caso de exposição prolongada por inalação e ingestão e é tóxico para os organismos aquáticos.A explosão causou uma nuvem de gás tóxico, que obrigou à remoção de 7 mil pessoas num raio de dois quilômetros em torno das instalações.O departamento local de proteção ambiental está investigando a qualidade da água no local do acidente. O Governo do distrito mandou interromper a produção de todas as indústrias químicas para iniciar uma inspeção. Os trabalhos nos escombros continuam.

Agencia Estado,

29 de julho de 2006 | 03h39

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.