Michel Euler/AP
Michel Euler/AP

Explosão em loja judaica na França deixa 4 feridos

Entidade judaica diz temer que ataque a bomba esteja relacionado a protestos contra filme que ridiculariza Islã

estadão.com.br,

19 de setembro de 2012 | 11h55

Texto atualizado às 12h16

 

PARIS - Quatro pessoas ficaram feridas nesta quarta-feira, 19, quando uma bomba dentro de um pequeno pacote explodiu dentro de uma mercearia de alimentos judaicos em um subúrbio de Paris. A informação é da agência de notícias Sipa, segundo a AP. A explosão ocorreu em Sarcelles, 20 km ao norte da capital francesa.

 

Veja também:

linkFrança fechará embaixadas em 20 países, após charges sobre Maomé

 

Segundo a Sipa, a explosão do artefato foi provocada por duas pessoas encapuzadas, vestidas de preto. Elas teriam entrado na loja por volta de 12h (horário local) e deixado o objeto, antes de sair. A agência menciona um policial francês e uma organização judaica como fontes da informação. De acordo com o policial, os dois conseguiram escapar depois de ainda atirarem uma pedra contra a fachada da loja. Segundo a AP, o policial falou em condição de anonimato.

 

Segundo o policial, os feridos foram tratados por ferimentos nos braços e nas pernas, provocados pela explosão e por vidros quebrados.

 

Temor

 

Uma entidade judaica local, CRIF, disse em um comunicado que "teme que o ataque" esteja relacionado aos violentos protestos vistos no Oriente Médio e em países do norte da África contra o filme "Inocência dos muçulmanos"', que ridiculariza o profeta Maomé. 

 

O evento coincide com a publicação, pela revista satírica francesa Charlie Hebdo, de caricaturas do profeta. A CFCM, organização que congrega grupos muçulmanos franceses, disse em comunicado que os fiéis "não devem ceder à provocação(...) e expressar sua indignação em paz, através de meios legais". A França é o país da Europa ocidental com maior população islâmica.

 

Aguarde mais informações

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.