Explosão em mesquita no Paquistão deixa 43 mortos

Pelo menos outras 100 pessoas ficaram feridas na região tribal de Khyber

REUTERS e EFE

19 de agosto de 2011 | 08h03

KHYBER - Uma explosão em uma congregação de fiéis durante as orações de sexta-feira, 19, em uma mesquita na região tribal de Khyber, no noroeste do Paquistão, matou ao menos 43 pessoas, disseram autoridades do governo, segundo a agência AFP.

Mais de 100 pessoas ficaram feridas no ataque em Jamrud, principal cidade de Khyber, onde militantes têm se mantido ativos nos últimos anos.

"De acordo com relatos iniciais, cerca de 20 pessoas foram mortas na explosão, mas o número pode aumentar já que muitos feridos estão em condições graves", disse o membro do governo Khalid Mumtaz. Outra autoridade do governo colocou o número de mortos em 26.

A mídia local relatou que a explosão foi causada por um homem-bomba, que era adolescente. Ainda havia corpos presos nos destroços da mesquita, disse uma testemunha que ajudou a remover ao menos 12 corpos dos escombros.

 

Centenas de pessoas estavam rezando na mesquita no momento da explosão às 13h45 no horário local (5h45 de Brasília). O teto do prédio desabou com deflagração.

 

Diante da falta de hospitais na região, parte dos feridos foi levada para Peshawar, capital da província noroeste de Khyber-Pakhtunkhwa. O atentado coincide com a celebração do mês do Ramadã.

 

Em Khyber fica a principal passagem terrestre entre o Paquistão e o Afeganistão, caminho prioritário do grosso das provisões para as forças internacionais presentes no país vizinho.

 

A área é refúgio de grupos Taleban e mafiosos que atuam nos dois países.

Ninguém assumiu responsabilidade pelo ataque.

Tudo o que sabemos sobre:
PAQUISTAOVIOLENCIAMESQUITA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.