EFE
EFE

Explosão em mesquita sunita deixa ao menos 15 mortos no Iraque

Ataque pode sugerir que milícias xiitas podem recorrer, novamente, ao uso da violência

O Estado de S. Paulo,

20 Setembro 2013 | 13h47

TIKRIT, IRAQUE - A explosão de duas bombas, escondidas em unidades de ar-condicionado de uma mesquita sunita na cidade de Samarra, no Iraque, deixou ao menos 15 mortos e 17 feridos nesta sexta-feira (20), de acordo com a polícia e com médicos locais. Até o momento, nenhum grupo assumiu o ataque e motivação para a explosão ainda é desconhecida.

“Durante as orações de sexta-feira, aconteceu uma grande explosão. Uma fumaça negra tomou conta da mesquita e não conseguíamos ver uns aos outros. Eu tentei ficar de pé, mas não consegui porque machuquei minha perna”, disse Saleh al-Shamani, de 35 anos.

A pressão sobre o delicado equilíbrio sectário no Iraque aumentou com a guerra civil na Síria, onde os rebeldes sunitas lutam para derrubar um líder apoiado pelos xiitas do Irã. Tanto os sunitas quanto os xiitas têm ido para a Síria, a partir do Iraque, para lutar em lados opostos do conflito.

No início deste ano, ramificações sírias e iraquianas da Al Qaeda se juntaram para formar o Estado Islâmico do Iraque e do Levante, que assumiu a responsabilidade por ataques de ambos os lados da fronteira. O Iraque também tem testemunhado vários incidentes nas últimas semanas, sugerindo que as milícias xiitas, que até agora se abstiveram de retaliação a ataques de insurgentes sunitas, pode mais uma vez recorrer à violência.

A intensificação da violência tem levantado preocupações de um retorno à conflito mais amplo em um país onde os muçulmanos xiitas, sunitas e curdos ainda tentam encontrar uma forma estável de poder compartilhar. / REUTERS

Mais conteúdo sobre:
IraqueSíriasunitasxiitas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.