Explosão em mina do Irã deixa pelo menos 35 mortos

Acidente ocorreu no norte do país e estaria ligado ao acúmulo de gás no local

O Estado de S.Paulo

04 Maio 2017 | 04h05

TEERÃ - Uma explosão em uma mina de carvão no nordeste do Irã na quarta-feira, 3, matou pelo menos 35 pessoas, disseram agências de notícias locais, enquanto equipes de resgate trabalham pelo segundo dia consecutivo para alcançar os que ficaram presos. 

A província de Golestan declarou três dias de luto após a explosão, disse a televisão oficial iraniana. O presidente do Irã, Hassan Rouhani, deu ordem para que o país use todos os recursos disponíveis para resgatar os mineiros que ainda estão presos, de acordo com a agência estatal IRNA. 

Oficiais informaram que a causa da explosão foi gás acumulado na mina, o que também tem afetado os trabalhos de resgate. Pelo menos 25 pessoas foram hospitalizadas por ter respirado muito gás após a explosão. 

Ambulâncias, helicópteros e outros veículos de resgate foram para o local após a notificação da explosão. Houve confusão sobre quantos mineiros ficaram encurralados - alguns chegam a dizer 80.

Mais de 500 pessoas trabalham na mina Zemestanyurt, a 14 quilômetros de Azadshahr, segundo a agência IRNA. A província de Golestan está na fronteira norte do Irã, com o Turcomenistão e na costa do Mar Cáspio.

Além do petróleo, o Irã tem diversos minerais. O país extrai cerca de um milhão de toneladas de carvão por ano. Esse não é o primeiro desastre envolvendo mineração no país. Em 2009, 20 trabalhadores morreram em acidentes similares. Padrões de segurança negligentes e serviços de emergência inadequados nas regiões mineiras costumam ser os culpados pelas fatalidades. / AP

Mais conteúdo sobre:
IrãMar CáspioTurquemenistão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.