Explosão em Nairóbi deixa pelo menos 16 feridos

Uma explosão nesta segunda-feira num edifício onde estavam instaladas várias pequenas lojas no centro de Nairóbi deixou pelo menos 16 pessoas feridas, disse a polícia. Segundo o comissário Mathew Iteere a causa de explosão pode ter sido uma falha elétrica. Contrariando os policiais, o primeiro-ministro Raila Odinga declarou que foi um ataque terrorista.

AE, Agência Estado

28 Maio 2012 | 11h05

"Isto é terrorismo...foi um ato hediondo, estamos sob ameaça, mas não seremos intimidados", disse ele aos jornalistas.

Os feridos receberam tratamento médico e as autoridades tentavam impedir a aproximação das pessoas. Policiais bloquearam a região e isolaram a área.

A força da explosão rasgou o telhado de alumínio do prédio de um andar, mas um edifício mais alto e bem próximo não parecia ter registrado sérios danos. Segundo Iteere, pelo menos 16 pessoas ficaram feridas.

Outro policial disse, em condição de anonimato, que não havia sinais óbvios de que a explosão tenha sido causada por uma bomba. Esferas de metal e pregos - objetos que costumam ser colocados no interior de bombas para aumentar sua letalidade - não foram encontrados no local e os policiais que investigam as causas da explosão disseram que a causa provável foi um problema elétrico.

Militantes do grupo Al-Shabab, da vizinha Somália, ameaçam realizar ataques no Quênia após a decisão do país, em outubro do ano passado, de enviar tropas para o território somali combater integrantes do grupo terrorista.

Vários ataques com granadas foram registrados no Quênia nos últimos meses, mas a explosão desta segunda-feira parece ter sido causada por um artefato maior do que uma granada. As informações são da Associated Press e da Dow Jones.

Mais conteúdo sobre:
Quênia explosão Nairóbi

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.